Agronegócio

Riquezas

Agronegócio emprega menos, mas produz o triplo da agricultura familiar

No Piauí, grandes produtores empregam 22% dos trabalhadores do campo, mas geram 76% do PIB agrícola do estado

 
 
 

O agronegócio – um dos setores mais pujantes da economia brasileira – é responsável por quase 80% dos R$ 5 bilhões de riquezas geradas, por ano, na produção agrícola piauiense. Pelo lado da oferta, é o único setor a crescer mesmo durante a pandemia. A prova disso é que o superávit da balança comercial do agronegócio brasileiro, em julho, foi de US$ 11,29 bilhões, 15,8% superior ao exportado no mesmo mês do ano passado.

Em resumo, o agronegócio é um importante gerador de riquezas no Piauí, impulsionado pelas aplicações tecnológicas nas grandes propriedades rurais. Mas a tecnologia empregada também restringe a mão-de-obra nas fazendas e é aí onde a agricultura familiar começa a complementar a atividade do campo e mostra que os pequenos produtores são tão essenciais para a economia quanto os grandes.

Dados do Censo Agro 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que no Piauí temos pouco mais de 670 mil pessoas trabalhando no campo. Desse total, apenas 152 mil (22,6%) estão atuando no agronegócio. As demais 518 mil (77,3%) estão na agricultura familiar.

 

Além disso, quase a totalidade do que é produzido pelo agronegócio vai para a exportação, enquanto a agricultura familiar garante 70% do que chega à mesa dos piauienses – mais um demonstrativo de que a uma atividade não é suficiente para o país sem a existência da outra.

A produção agropecuária piauiense soma cerca de R$ 5 bilhões por ano – R$ 3,8 bilhões saem das grandes propriedades do agronegócio e R$ 1,2 bilhão sai das pequenas terras. Por outro lado, o impacto do crescimento da agricultura familiar é bastante significativo para os municípios, especialmente por empregar mais pessoas que o agronegócio.

A agricultura familiar possui um importante papel na empregabilidade (Foto: divulgação)

Há diferença também quanto à área ocupada. Dos 246 mil estabelecimentos agropecuários existentes no Piauí, a grande maioria (197 mil ou 80%) é de agricultura familiar. Mas ainda assim, as propriedades do agronegócio superam todos os pequenos produtores em tamanho: são 6 milhões de hectares para as grandes fazendas e 3,8 milhões de hectares para os agricultores familiares.

 

Desafios

Juntas, ambas as atividades enfrentam o desafio de escoar a produção, mesmo que em dimensões distintas. O agronegócio sofre com a falta de investimento em estradas para reduzir o valor do frete dos insumos e a saída dos grãos. A agricultura familiar precisa encontrar mais canais para a venda dos produtos e precisa de investimento em tecnologias de irrigação para garantir a boa colheita, mas a baixa escolaridade dos pequenos agricultores restringe o acesso ao crédito e dificulta a expansão.

 

 

Apesar de todas as diferenças entre o agronegócio e a agricultura familiar, pode-se dizer que as duas atividades são essenciais para o desenvolvimento do Estado. Enquanto uma emprega menos e gera maior volume de riquezas, a outra emprega mais pessoas e garante o abastecimento interno.

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Mais de Agronegócio