logo

Sumirá em 20 segundos

Indústria

Prevenção

Energia voltará automaticamente em caso de queda, garante Equatorial

Cem religadores automáticos estão sendo instalados em Teresina para reduzir o impacto da queda de árvores em períodos chuvosos

 
Os religadores automáticos fazem parte do Plano Teresina II (Montagem com fotos da Equatorial)

 Os religadores automáticos fazem parte do Plano Teresina II (Montagem com fotos da Equatorial)

 
 

A Equatorial Energia garante que, na próxima estação chuvosa de Teresina, as possíveis faltas de energia devido à queda de árvores sobre a rede serão breves. A empresa está instalando, em diversas áreas da capital, 100 religadores automáticos em caso de desligamento pontual de energia. Dessa forma, o consumidor ficará menos tempo sem luz. Cerca de 300 mil clientes serão beneficiados.

A ação faz parte do Plano Teresina II e terá investimento de R$ 40,6 milhões. O planejamento prevê ações para garantir mais robustez da rede, redução de blocos de carga, flexibilização do sistema, localização rápida dos defeitos, além da orientação estruturada do manejo de árvores nas áreas urbanas de Teresina, em parceria com Prefeitura, Ministério Público, Corpo de Bombeiros e comunidade.

Devido à extensão arborização da cidade, a Equatorial quer uma convivência harmoniosa com o verde da capital. “São comuns tempestades com ventos muito fortes em Teresina e isso inevitavelmente leva à queda de árvores sobre a rede. Então o investimento irá minimizar os danos”, explicou Maurício Veloso, que concedeu entrevista ao Piauí Negócios logo após deixar o cargo de presidente da Equatorial Piauí, no final de junho.

Maurício Veloso, da Equatorial, explicou sobre a importância dos religadores para os consumidores

Além dos religadores, a empresa também ganhou o reforço da nova subestação Ininga, com um incremento de 50 MVA de potência, beneficiando 102.320 clientes da zona leste de Teresina, que já estava sobrecarregada, pois há 15 anos não recebia investimentos. Outra ação foi na rede de distribuição, que estava muito sucateada. “Temos alimentadores que não suportam a energia e por isso estão sendo trocados”, afirmou Veloso.

O objetivo da empresa é evitar ou reduzir os danos como os que ocorreram na virada do ano entre 2020 e 2021, quando uma tempestade provocou a queda de 280 árvores e deixou vários bairros de Teresina sem energia por até 48 horas.

Em 2020, com o Plano Teresina, a empresa já havia investido R$ 11,3 milhões na substituição de 65km de rede elétrica, recondutoramento dos principais alimentadores, construção de 30 novos alimentadores e mais de 210 divisões de áreas, um conjunto de ações que contribuíram para a melhoria do fornecimento a quase 220 mil clientes da capital.

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Mais de Indústria