Carreira & Gestão

reestruturação

Piauí tem quinto menor índice de empresas em recuperação judicial do Brasil

15 empresas no estado e 4.203 no país estão nessa situação

 
 
A recuperação judicial visa evitar a falência de uma empresa com dificuldades financeiras (Foto: Freepik)

 A recuperação judicial visa evitar a falência de uma empresa com dificuldades financeiras (Foto: Freepik)

 
 

De acordo com o Monitor RGF de Recuperação Judicial no Brasil, realizado pela consultoria RGF, o Piauí tem um dos menores índices de empresas em recuperação judicial no Brasil. A plataforma de monitoramento indica métricas de empresas em recuperação judicial a cada mil empresas, com visões ao nível país, região, estado e setor.

O Piauí conta com um índice de 0,96 por mil empresas, a quinta menor quantidade do Brasil. O estado com menor índice de recuperação judicial, com apenas uma empresa, é o Amapá, com 0,21, seguindo de Roraima (0,59), Maranhão (0,85), Amazonas (0,89) e Piauí (0,96), respectivamente. Os estados com maior índice são Goiás (4,87), Alagoas (4,53), Pernambuco (4,3), Sergipe (3,35) e Rio Grande do Norte (3,29). A média do Brasil é 1,87.

 

Quanto menos vermelho, menor o índice de recuperação judicial



No Piauí, as empresas em recuperação judicial são de ramos diversos, incluindo fabricação de embalagens de material plástico, atendimento hospitalar, varejo de pneus, loja de departamentos, entre outras (veja lista mais abaixo).

Apesar do bom desempenho, o número de empresas que entraram em situação de recuperação judicial em relação ao ano passado dobrou. Em 2023 o Piauí tinha 8 empresas nessa situação, número que subiu para 15 em 2024, até o momento.

 

No quadro nacional, o número de empresas sofreu um leve aumento na maioria das regiões. O aumento aconteceu no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. No Sul, o índice se manteve estável, e no Norte apresentou melhora, onde o índice foi de 1,15 para 1,13.

Os dados mostram, ainda, que o número absoluto de empresas em Recuperação Judicial no país cresceu em 158 (considerando entradas e saídas), pulando de 4.045 para 4.203, um aumento de 3,9%. Já a base total de empresas cadastradas aumentou em aproximadamente 65 mil, saindo de 2,19 milhões para 2,25 milhões. Os dados se referem a matrizes de empresas ativas de pequeno, médio e grande portes.

 

"Apesar da piora, é possível observar uma diminuição no ritmo do aumento observado no último trimestre do ano passado. Isso significa que, mesmo considerando que mais empresas estão recorrendo à lei de RJ, o aumento não tem comportamento exponencial. Outro ponto importante é que, a cada trimestre, podemos observar uma melhora na quantidade proporcional de empresas que saem da RJ e retomam a operação sem supervisão judicial", analisa Rodrigo Gallegos, sócio da RGF e especialista em reestruturação e recuperação judicial.

Sobre o Monitor RGF de Recuperação Judicial

O Monitor levanta dados trimestrais e possibilita a apresentação do Índice de Recuperação Judicial (IRJ-RGF), que indica a quantidade de companhias em Recuperação Judicial a cada mil empresas, com visões por região, estado e setor. Para chegar a esses dados, o Monitor RGF avaliou mais de 2,25 milhões de empresas, que são as matrizes de empresas ativas de pequeno, médio e grande portes.

Dados da Receita Federal

O Monitor trabalha com a mais completa base de dados disponível: a Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (RFB), que armazena informações cadastrais das pessoas jurídicas e outras entidades de interesse das administrações tributárias da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Salvo as microempresas, o Monitor reúne informações sobre todas as empresas em atividade no país.

Com o objetivo de criar uma visão consolidada das empresas com maior influência social e econômica, foram excluídas do universo da análise: empresas com CNPJs não ativos; microempresas, pois, apesar de também poderem entrar em Recuperação Judicial, não há quantidade representativa na situação em relação ao total de empresas em Recuperação Judicial; ONGs e entidades governamentais; e filiais, para a contabilização da empresa como uma unidade jurídica.


Leia também

Piauí aprova benefícios fiscais para empresas que investirão R$ 147 milhões

Cresce no Piauí volume de transações por empresas que fazem compras conjuntas


Recuperação judicial

A recuperação judicial é um processo legal previsto na legislação brasileira cujo objetivo é evitar a falência de uma empresa que está enfrentando dificuldades financeiras. Regida pela Lei n.º 11.101/2005, conhecida como Lei de Recuperação de Empresas e Falências, a recuperação judicial permite que a empresa devedora apresente um plano de reestruturação para pagar suas dívidas e continuar operando.

Sobre a consultoria RGF

Fundada há uma década pelos profissionais de mercado Riccardo Gambarotto e Gian Filli, a consultoria RGF conta com uma equipe de 30 experientes consultores, juntamente com um time de cientistas de dados e analistas de elite, garantindo insights valiosos e estratégias eficazes para ajudar as empresas a alcançarem seu potencial.

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

Mais de Carreira & Gestão