Indústria

competitividade

Piauí aprova benefícios fiscais para empresas, que investirão R$ 147 milhões

Empresas serão instaladas em Teresina, Ribeiro Gonçalves e Santo Antônio de Lisboa. Juntas, devem gerar mais de 2 mil empregos

 
 
A aprovação foi anunciada na terça-feira (18), após reunião entre membros do Codin e outras autoridades (Foto: divulgação)

 A aprovação foi anunciada na terça-feira (18), após reunião entre membros do Codin e outras autoridades (Foto: divulgação)

 
 

Quatro empresas receberão benefícios fiscais para se instalarem nas cidades de Teresina, Ribeiro Gonçalves e Santo Antônio de Lisboa, no Piauí. A aprovação foi anunciada na terça-feira (18) e contempla frigoríficos, beneficiadoras de arroz, de amêndoas e fabricantes de polpa de frutas. Juntas, essas empresas devem gerar cerca de 2.600 empregos, com investimentos na ordem de R$ 147 milhões. 

O secretário da Fazenda, Emílio Júnior, esteve reunido com membros do Conselho de Desenvolvimento Industrial do Piauí (Codin) para discutir e aprovar esses benefícios. Orisvaldo Teixeira, presidente da Comissão Técnica de Assessoramento do Codin (Cotac), fez a apresentação das empresas.

"Estivemos reunidos hoje com membros do Codin com o objetivo de avaliar e aprovar benefícios fiscais que permitam que empresas se estabeleçam e operem no estado, fomentando assim a criação de empregos e o desenvolvimento econômico regional. É uma iniciativa crucial para atrair investimentos e incentivar o crescimento de setores industriais", declarou o secretário Emílio Júnior.


Leia também

Empresa traz ao Piauí equipamento que gera economia e rapidez na construção civil

Terminal Pesqueiro de Luís Correia será o único com condomínio industrial do Brasil

Empresas do Piauí têm iniciativas que já seguem a nova política industrial do Brasil


Os incentivos fiscais têm como objetivo reduzir os custos operacionais, tornando o ambiente de negócios mais competitivo e atraente. Além de promover a criação de empregos, esses incentivos estimulam a economia local, melhoram a qualidade de vida da população e podem aumentar a arrecadação tributária a longo prazo com o crescimento das empresas beneficiadas. Também ajudam a diversificar a base econômica do estado, reduzindo a dependência de setores tradicionais e fortalecendo a resiliência econômica da região.

A reunião contou com a participação de representantes de diversos órgãos estaduais públicos e privados, incluindo as secretarias do Desenvolvimento Econômico (SDE), do Planejamento (Seplan), do Agronegócio e Empreendedorismo Rural (Seagro), Agência de Fomento e Desenvolvimento do Piauí (Badespi), além da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi), Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Centro das Indústrias do Estado do Piauí (Ciepi) e Associação Piauiense dos Municípios (APPM).

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

Fonte: Governo do Piauí

Mais de Indústria