Comércio & Serviços

Datas especiais

Feriados e pontos facultativos no Piauí: bons ou ruins para a economia?

Enquanto comércio e indústria reclamam do excesso de folgas no ano, lazer e gastronomia faturam mais nesse período

 
Movimento no comércio pode piorar ou melhorar, dependendo do feriado

 Movimento no comércio pode piorar ou melhorar, dependendo do feriado

 
 

Até o final de 2019, os piauienses terão tido pelo menos 19 dias de folgas por conta de feriados e pontos facultativos federais, estaduais e municipais. O que é descanso para muitos é, no entanto, alvo de reclamação para parte do setor produtivo. Comércio e indústria consideram cada um desses dias como prejuízos para a economia, pois praticamente não há venda nem produção de bens nesses dias.

 

Análises dos dois setores apontam perdas bilionárias em decorrência dos feriados. No varejo, em 2019, o Brasil deve deixar de movimentar R$ 7,6 bilhões, segundo estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). No setor industrial, o último cálculo, feito em 2017, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), apontou um prejuízo no país de R$ 66,8 bilhões, o que equivalente a 4,4% do PIB industrial brasileiro naquele ano.

 

Tamanho prejuízo é muito, principalmente para dois setores que respondem por 27% do PIB do Brasil, segundo o IBGE. Por isso, cada vez mais as entidades ligadas ao setor têm pressionado o governo para conceder menos pontos facultativos, ao mesmo tempo em que dialogam com parlamentares para alterar leis que possam reduzir os feriados. A mais recente proposta, em tramitação no Congresso Nacional, quer alterar alguns feriados que caem no meio da semana para as segundas-feiras.

 

A reclamação de lojistas e industriais, no entanto, não ecoa para outros empresários e prestadores de serviços, que, ao contrário do comércio e indústria, aumentam seu faturamento justamente nos dias de descansos da maioria dos brasileiros. São os representantes dos setores de lazer e alimentação, que comemoram cada feriado, ponto facultativo e feriado prolongado, com raras exceções.

 

 

Ao invés de prejuízos, esses setores registram vendas até cinco vezes maiores do que nos dias úteis, o que significa também mais renda, emprego e economia aquecida. Eles lucram justamente quando os trabalhadores não estão trabalhando, mas se divertindo. Vendo por esse lado, feriados e pontos facultativos não significam, necessariamente, prejuízos para a economia brasileira.

 

O Piauí Negócios ouviu empresários, economistas e representantes de entidades de classes no Piauí para analisar os prós e contras dos feriados e pontos facultativos. Clique nos links abaixo e confira:

 

Comércio de rua do Piauí começa a abrir aos domingos e feriados

Indústria piauiense: prejuízo passa dos R$ 100 milhões

MP da Liberdade Econômica facilita abertura de lojas aos domingos e feriados

Em shoppings centers, alguns feriados atraem mais consumidores

Feriados e pontos facultativos: bons ou ruins para a economia do Piauí?

Bares, restaurantes e grandes shows faturam até cinco vezes mais nas folgas extras

Para economista, perdas em alguns setores são compensadas por outros

Hotéis do litoral chegam a lotar nos feriados prolongados

Em 2020, feriados prolongados vão dobrar e chegarão a 11 datas

Mais de Comércio & Serviços